terça-feira, 19 de abril de 2016

O EXTREMISMO ANARQUISTA NA LISTA DA INTERPOL


anark

Considerado doméstico o anarquismo entra na lista de movimentos considerados terroristas, Interpol em parceria com FBI propõe uma limpa mundial com campanhas antiterroristas:

Em tentativa patética de impor ao público o que é terrorismo doméstico FBI e Interpol alegam que: Norte Americanos ataca há Norte Americanos por causa de ideologias extremista.
Nós (FBI) previamente delineados três ameaças separadas: Os Eco-Terroristas / Extremistas dos direitos dos Animais, Os infratores solitários, e o movimento cidadão soberano (Ku Klux Klan).
Hoje, olhamos para um quarto extremismo a ameaça anarquista.
O que é extremismo anarquista? Anarquismo é uma crença de que a sociedade não deve ter governamentais, leis, polícia, ou qualquer outra autoridade. Toda essa crença é perfeitamente legal e a maioria dos anarquistas na são defensores da não violência, meios não criminais (Obs: Segundo o FBI isto, o americano Peter Gerderloos escreve seu livro como a não violência protege o estado). Uma pequena minoria, no entanto, acredita que a mudança só pode ser realizada através da violência e atos criminosos. E o que, é claro, é contra a lei.
 (*Se a manifestação não desafia a ordem vigente para o que está serve?)

A Interpol Brasília existe e está em operação desde 1953

interpol
A INTERPOL National Bureau Central (NCB) para o Brasil faz parte da Unidade de Coordenação de Polícia Criminal Geral da Internacional que lida com todas as polícias internacionais e inquéritos judiciais envolvendo a Polícia Federal.
Mandato:
  • Trabalhar com os países membros da Interpol no interesse da cooperação policial internacional;
  • Avisos questão a Interpol:
  • Coordenar as operações de polícia internacionais;
  • Localizar e capturar fugitivos internacionais;
  • Coordenar extradições;
  • Administrar a rede de comunicações INTERPOL policial, segura em todo o país.
INTERPOL Brasília é composta de quase 40 funcionários a tempo inteiro e 50 funcionários adicionais nomeados para os 27 escritórios regionais em todo o país. Os funcionários são funcionários públicos, comissários, peritos forenses, policiais, oficiais de justiça, peritos de impressão digital ou trabalhadores administrativos, cada um selecionados competitivamente para uma responsabilidade específica BCN.
  • Prevenir, identificar e investigar o crime;
  • Luta contra o tráfico internacional de drogas e terrorismo.
  • Proporcionar controle das fronteiras e os serviços de imigração.

A lei antiterrorismo Brasileira de Schrödinger

O projeto de lei define o ato terrorista de forma bastante ampla, enumerando como ações terroristas: o ataque aos meios de transporte e bens públicos ou privados, o porte de explosivos e a interferência em bancos de dados e sistemas de informática, entre outros, que tenham “razões de xenofobia, discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia e religião, quando cometidos com a finalidade de provocar terror social ou generalizado , expondo a perigo pessoa, patrimônio, a paz pública ou a incolumidade pública”, além de definir punição também ao crime de “apologia ao terrorismo”.
São considerados “atos de terrorismo”: (I) “usar ou ameaçar usar, transportar, guardar, portar ou trazer consigo explosivos, gases tóxicos, venenos, conteúdos biológicos, químicos, nucleares ou outros meios capazes de causar danos ou promover destruição em massa”; (II) “sabotar o funcionamento ou apoderar-se, com violência, grave ameaça a pessoa ou servindo-se de mecanismos cibernéticos, do controle total ou parcial, ainda que de modo temporário, de meio de comunicação ou de transporte, de portos, aeroportos, estações ferroviárias ou rodoviárias, hospitais, casas de saúde, escolas, estádios esportivos, instalações públicas ou locais onde funcionem serviços públicos essenciais, instalações de geração ou transmissão de energia, instalações militares, instalações de exploração, refino e processamento de petróleo e gás e instituições bancárias e sua rede de atendimento”; e (III) “atentar contra a vida ou a integridade física de pessoa”. Em linhas gerais, os atos de terrorismo podem estar relacionados ao manejo de determinados materiais que possam colocar em risco a incolumidade pública, ao apoderamento de pontos estratégicos para a segurança nacional, e a atentados contra a vida.”
LEI Nº 13.260, DE 16 DE MARÇO DE 2016 – Lei Antiterrorismo
§ 2º O disposto neste artigo não se aplica à conduta individual ou coletiva de pessoas em manifestações políticas, movimentos sociais, sindicais, religiosos, de classe ou de categoria profissional, direcionados por propósitos sociais ou reivindicatórios, visando a contestar, criticar, protestar ou apoiar, com o objetivo de defender direitos, garantias e liberdades constitucionais, sem prejuízo da tipificação penal contida em lei.
protesto1
Correio da CidadaniaVocê acredita nas alegações das principais representações políticas favoráveis ao projeto, algumas delas ancoradas em eventos como as Olimpíadas ou mesmo em comparação a países estrangeiros que já tipificaram o terrorismo? Ou você pensa que essa lei tem única e exclusivamente a intenção de criminalizar movimentos e contestadores sociais de maior porte?
Camila Marques: Não digo que intenção tenha sido unicamente a criminalização dos protestos sociais, mas acredito que o processo também foi composto por esse interesse. Muitos organismos internacionais se manifestaram contrários ao projeto brasileiro dizendo que era extremamente vago e poderia trazer prejuízos à democracia. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos e a ONU se manifestaram nesse sentido – e reiteraram depois de sua aprovação.
Por outro lado quase que improvável esta lei pode fomentar o fim da violência policial em protestos e nas favelas, segundo a ONU a lei é muito ambígua ampla o que causa insatisfação.
São autodeclarados contra o PL 2016/2015 MST, MTST e Green Peace.
Rio – O Brasil vai convidar policiais de países europeus, alvos de atentados terroristas, para participar do Centro Integrado Antiterrorista, que será criado para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. O anúncio foi feito pelo titular da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, Andrei Augusto Passos Rodrigues. Ele garantiu, que mesmo após ao atentado em Paris, na França, na última sexta-feira, que deixou 129 mortos e mais de 350 feridos, o esquema de segurança para a Olimpíada não será alterado.
“O impacto sobre isso é de reafirmar que vamos investir na cooperação internacional, na troca de informações com países que compõem o sistema da Interpol. É uma novidade que o Brasil implemente o Centro Integrado Antiterrorista, que é um fórum de polícia, onde convidaremos policiais de outros países a integrar este centro, com foco no enfrentamento ao terrorismo”, adiantou Andrei Rodrigues.
— O que está por trás dessa iniciativa de tipificar o crime de terrorismo no Brasil? É mais uma tentativa de criminalizar os movimentos sociais?
— Com certeza. Zaffaroni, argentino e um dos maiores penalistas do mundo, diz que toda vez que aumentamos o estado policial, diminuímos o estado de direito. Neste caso, seria uma tragédia para as lutas sociais a tipificação, um retrocesso democrático.
Recentemente, Obama justificou a espionagem que fez na presidenta Dilma com base no argumento de que era para combater o terrorismo. Ou seja, se viola a intimidade de presidentes de países com base neste argumento!
O debate é ideológico. Implica dizer, seremos submissos a esta ideologia norte-americana? A mesma ideologia que “justifica” a tortura, a espionagem sorrateira, Guantánamo, Abu Ghraib e os campos de concentração relatados no filme Zero Dark Thirty (A Hora Mais Escura)?
– A quem interessa, ideologicamente, tipificar o crime de terrorismo no Brasil?
– Como o termo “terrorista” é uma construção ideológica, funciona mais ou menos assim: você primeiro cria politicamente o termo e depois vai atrás daquilo que você entende que seja.
Somente para argumentar, imaginemos aquele terrorista dos filmes de Hollywood, ok? Se ele existe, nunca passou pelo Brasil ou pela maioria dos países.
Nosso País não entra em guerra há mais de 100 anos, temos um tradição, portanto, pacífica.
Outros países que tipificaram a conduta e aceitaram o jogo dos EUA, ao não encontrar aquele perfil que o Jack Bauer, do seriado 24 horas tem como inimigo, acabaram por criminalizar movimentos sociais. Sim, porque uma vez tipificado, você perde totalmente o controle sobre quem será punido. O filtro que será realizado para determinar se tal conduta é terrorismo ou não será dado por delegados, promotores, juízes e, é claro, pela mídia!
Interessa ao pensamento ideológico de Bush no pós 11 de setembro. Pensamento tão forte politicamente, que nem mesmo Obama conseguiu refrear, embora houvesse prometido acabar com Guantánamo.

E O QUE ISTO TEM HAVER COM NÓS ANARQUISTAS?

Bestas selvagens sem nacionalidade as origens da Interpol e a Conferência Internacional de Roma para a Defesa Social contra anarquistas:

Embora historicamente inclui tendências violentas (como o anarquismo insurrecional com a sua invocação da ” propaganda pela ação “), que também inclui elementos não violentos , com a maior parte do movimento que tomam uma posição mais moderada sobre o uso da violência para revolucionária propósitos entre esses dois extremos.
As outras resoluções elaboradas no protocolo final incluiu a introdução de legislação nos governos participantes que proíba a posse ilegítima e uso de explosivos, a participação em organizações anarquistas, a distribuição de anarquista propaganda , e da prestação de assistência aos anarquistas. 
anarquia ou barbarie
Pois então, companheiros(as) , tenho para falar a vocês que mesmo não se aplicando a movimentos sociais ligados ao governo a lei que tipifica o terrorismo é válida para nós.
Saúde e Anarquia.

domingo, 17 de abril de 2016

Pressionados por empresários, governistas decidem trair Dilma


Alan Marques - 10.out.2015/Folhapress
GALERIA DILMA ROUSSEFF: MANDATOS E CRISE - Em 9 de setembro de 2015, a agência de risco Standard & Poor's tira do Brasil o selo de país bom pagador; agências Fitch e Moody's também rebaixaram a nota de crédito do país nos meses seguintes. Na foto, presidente Dilma Rousseff recebe empresários da construção civil, no Palácio do Planalto, no dia seguinte à medida
Dilma recebe empresários da construção civil, no Palácio do Planalto, em setembro de 2015

Na reta final da votação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, assessores da petista foram informados por deputados que mudaram de lado nas últimas horas, depois que foram pressionados diretamente por empresários e não teriam mais como votar a favor do governo.
Segundo a Folha apurou, este movimento final de pressão pelo impeachment levou o governo a perder apoios conquistados entre quinta e sexta-feira, fazendo o placar do Planalto indicar um percentual de votos que coloca no horizonte um "sério risco de derrota". Na manhã deste domingo, o governo contabilizava 166 votos favoráveis a Dilma, abaixo dos 172 necessários para barrar o impeachment.
Outro assessor disse que a tendência era de "queda" no número de votos a favor da presidente e que isto acendeu de vez o sinal vermelho dentro do Palácio do Planalto. Segundo ele, a ordem agora é buscar abstenções e ausências para que o PMDB de Temer e a oposição não atinjam os 342 votos para aprovar a abertura do pedido de impeachment.


Um assessor da presidente disse que o governo está sofrendo um "forte processo de traição" nestas últimas horas antes da votação, marcada para as 14h deste domingo (17). Este auxiliar disse que, ao falar com deputados que mudaram de votos, eles alegaram que empresários ligaram diretamente para pedir a mudança de lado.
O argumento utilizado pelos empresários é que a economia não aguenta mais a presidente Dilma à frente do governo e que sua permanência representará um aprofundamento da crise econômica.


Além da pressão empresarial, deputados governistas que decidiram aderir ao impeachment estão alegando que também está havendo uma pressão forte de suas bases para que votem contra a presidente na Câmara.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu voltar a Brasília para ajudar nas articulações para salvar o mandato de Dilma Rousseff. Ele chegou à capital no fim da manhã deste domingo (17) e vai se reunir com parlamentares, governadores e dirigentes partidários no quarto do hotel em que se hospeda em Brasília para convencê-los, mais uma vez, a apoiar Dilma.

Lula havia voltado a São Paulo neste sábado (16), após o que acreditou ser um reação do governo, mas ouviu o pedido de Dilma e articuladores petistas para retornar ao bunker que montou no hotel. 

sexta-feira, 15 de abril de 2016

10 armas que o Brasil pode usar contra o ataque do estado islâmico




A ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) alertou que o Brasil pode vir a ser o próximo alvo de ataques terroristas do Estado Islâmico. Através do Twitter, um dos integrantes do grupo postou uma mensagem ameaçando o Brasil e, após confirmação da veracidade do perfil, a possibilidade de ataque tornou-se real.
Por isso o resolvi reunir as maiores armas que o Brasil possui para impedir o ataque e tranquilizar o povo brasileiro:

Inês Brasil1DHX66

“Se me atacar, eu vou atacar” é a arma secreta que o Brasil tem contra o ISIS. O plano é utilizar essa arma apenas em último caso.

Aedes Aegypti
aedes

Munido de Dengue, Zika Vírus e Chikungunya, o mosquito Aedes Aegypti é a arma 3 em 1 que o Brasil possui.

Falsete da Melodyylbc3h

Aperfeiçoado ao longo dos últimos dois anos, o Falsete da Mc Melody é uma arma de destruição sonora, capaz de romper a barreira do som e causar estragos num raio de três continentes.

Bonde das MaravilhasXYIKjSy

Dentre as armas “cola a bunda no chão”, “bumbum girando”, “deslizando” e a mais potente, “quadradinho de oito“, temos no Bonde das Maravilhas um arsenal completo contra ataques terroristas.

Carreta FuracãoZRjwaM7

A trupe do interior de São Paulo está, nesse momento, reunida para definir as estratégias do contra ataque.

Wesley Safadãomaxresdefault

99% pacífico, mas aquele 1% está pronto para lutar pelo Brasil!

Funk da MetralhadoraYO4z3q

O hit do Carnaval 2016 foi um presságio do que estaria por vir. O recado da Banda Vingadora está dado e se preciso, é só pegar a metralhadora e TRÁ TRÁ TRÁ TRÁ TRÁ

Bate cabelo da Joelma

Se nem Chimbinha conseguiu sobreviver ao bate cabelo, com certeza essa é uma das armas mais letais em posse do país.

Ajayô

O termo entoado por Carlinhos Brown incessantemente no The Voice Kids já tem afastado os mais corajosos brasileiros e espera-se que seja uma potente arma contra os jihadistas.

Ana Maria Braga disfarçadabloggif_5710fe2cc4046

Se todas as outras armas falharem a arma Ana Maria Braga Disfarçada de ISIS poderá ser usada. Com ela, nós conseguiremos nos infiltrar e destruir o grupo terrorista de dentro pra fora.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Bolsonaro convida Janaína Paschoal para ser sua vice já em 2017



O pré-candidato a presidente Jaior Bolsonaro (PSC) convidou a advogada e professora Janaina Paschoal para ser sua vice nas eleições de 2018.Segundo Bolsonaro, Paschoal demostrou ter todos os requisitos para entrar na chapa de Bolsonaro depois do discurso no Largo São Francisco.
Paschoal, que é autora do pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff em conjunto com os advogados Hélio Bicudo e Miguel Reali, fez um discurso na noite de ontem que agradou os bonsominoins, seguidores de Bolsonaro.
No vídeo que viralizou na internet, Paschoal fez alusões ao poder de uma cobra, referindo-se a Lula, e começa a se comportar como uma pastora de igreja neopetencostal radical.

Caso o processo de impugnação da candidatura de Dilma/Temer seja favorável a condenação, e o congresso tenha eleições indiretas, ela já seria sua vice caso ele seja eleito presidente.

sábado, 26 de março de 2016

Alckmin diz que ação da PM contra alunos da PUC era ‘aula prática’ sobre ditadura militar



O governador Geraldo Alckmin respondeu na manhã desta quarta-feira a uma carta enviada pela reitora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em que a mesma repudiava a ação da PM contra alunos na noite da última segunda-feira.
Na última segunda, um grupo de estudantes a favor do impeachment alugou um carro de som para protestar em frente ao campus da universidade. Um grupo de estudantes a favor do governo federal se articulou rapidamente e os dois grupos começaram a trocar ofensas.
A PM foi chamada e formou cordão protegendo o grupo contra Dilma e usou bombas e balas de borracha para atacar o grupo pró-PT.
O governador Geraldo Alckmin disse que este, ao contrário de ser um evento negativo, é mais um de seus projetos para melhorar a educação do Estado depois de mandar fechar cem escolas.
“É um inovador projeto de aula imersiva, aula prática. No caso, a aula foi sobre o AI-5, sobre como manter a ordem nas ruas”, disse o governador.
Sobre o fato de que para dispersar os manifestantes pró-impeachment a PM usou jatos de água e não bombas e balas de borracha, o secretário de segurança de SP Alexandre de Moraes disse: “Esse povo de humanas da PUC não gosta de tomar banho. Se a gente joga água neles, os direitos humanos cairiam de pau em cima da gente.”

domingo, 21 de junho de 2015

A Garra Esquerda do Leviatã

Deserto Billings, privatizado pela fusão CUT/Monsanto desde 2020. 

Quando não é o braço direito armado do estado, que escrevo em minusculo para não o divinizar, que nos rende é o braço esquerdo do sindicato estatal que nos aperta. Quantos tentáculos, pinças e garras pode ter esse imenso monstro estatal?

Digo isso pensando na frase que ouvi durante essa greve do professor de História da rede pública que disse: "o atual sindicato não é pelego, ele é o estado." 


As greves estaduais dos professores ficaram isoladas, não porque isso fosse uma novidade, mas sim porque é parte da lógica do arcabouço jurídico pelo qual o sindicato esta calçado que o faz manter o continuísmo governamental e o retrocesso fascista. Ao contrário do que pensam os mais entusiastas amantes do Leviatã, o governo tem sim prioridade na educação pública.


Porém essa prioridade esta em seu sucateamento,  uma prioridade provada na constante  retirada de investimentos de dinheiro público neste setor com o objetivo de despolitizar as crianças mais pobres, mantendo a miséria e as desigualdades sociais, contribuindo com a falta de reflexões filosóficas, definindo o papel dos trabalhadores como servos menos conhecedores dos mecanismos de transformação e controle social que os cercam.


Dentro desse aparato imenso do estado esta o sindicato pelego, criado durante o governo Vargas por Oliveira Vianna na formação da legislação social e trabalhista brasileira o papel dele na divisão e enfraquecimento do trabalhador diante da organização anti-estatal se tornou muito mais frágil. O exemplo disso foi o massacre aos professores no Paraná, em Goiás e na cidade do Macapá a criminalização de professores em São Bernardo do Campo, a prisão de um professor na Assembleia Legislativa de São Paulo, os tiros contra professores no comando de greve na zona leste e a morte de professores grevistas em São Paulo não comoveu as demais classes de trabalhadores. Essas não mais conectadas com as lutas novas que estão se formando durante o desigual duelo pelo controle dos meios de produção de riqueza se concentram unicamente em suas necessidades particulares e não compreedem a necessidade de romper com o limite de sua lógica, que inclusive tem sido cada vez mais engolida por um caráter partidário ao invés de classe no contexto histórico, a partir das lutas de enfrentamentos e resistências.
Prova disso é que mesmo batendo o record de tempo de greve, não houve nenhum atendimento às pautas de reivindicações. Nessa greve registra significativo momento histórico e político, ao desmascarar as forças reacionárias do governo Dilma, da articulação do PSOL-PSTU e o PCO que repete a mesma ladainha de um possível golpe fascista de direita que pode vir com o impeachment.  Nada mais falso, apenas são o que sempre fora, satélites do PT e forças auxiliares mesmo em suas mais ferrenhas críticas, os oprimidos operários do partido vermelho sonham em se tornar opressores porque como nos disse Paulo Freire  não tiveram educação libertadora.


Mais do que libertadora, revindicamos uma educação libertária. Não só tememos que o projeto de lei Nº 4330 se estenda, mas que se ignore que a terceirização como diz o texto de justificativa dessa lei seja ignorada como uma realidade.


Enquanto PT e PSDB com suas práticas ditatoriais se colocar usando dinheiro público por desvio de empresas privadas por meio de qualquer "mensalão" ou "petrolão", não nos resta a saída para crise a não ser a velha e óbvia ação direta  nas escolas,  nas ruas, praças  e avenidas  contra  os governos e o sistema; sistema este que achaca o mundo do trabalho e os trabalhadores de todo o mundo com sua ideologia de liberalidade para com o capital e de completa exceção para com o povo, apoiado por sua grande mídia, sua máquina de guerra e seus abutres do sistema financeiro nacional e internacional.

Mesmo os ditos revolucionários irão trair nossas bandeiras negras, eles querem apenas um lugar ao sol para descansar em seus confortáveis cargos políticos e viver dos recursos estatais. Os socialistas de estado não ousam arriscar seus cargos para defender com vigor a luta dos trabalhadores, irão dizer que não aguentam mais lutar e que já sofreram o que deveriam.


Como se algum deus burguês se comovesse com suas lágrimas de martírio, como se as pautas de revindicação dos professores algum dia tivessem sido o norte da direção do sindicato que na verdade só tinha por objetivo tentar reforçar a polarização entre uma esquerda e uma direita que não tem nenhuma ideologia real. Nem o dito partido dos trabalhadores e nem falado social-democrata tem qualquer preocupação ideológica sequer com a social-democracia ou o trabalhismo. Seu foco é parasitar a Petrobrás, gerar créditos ilimitados até para a campanha de Marina Silva e fatiar o bolo do estado com seus amigos para que esse melhor escute sua real função: a de oprimir a classe trabalhadora.


O que estamos assistindo é um truque bem engendrado. Um estado que faz o povo tentar procurar olhar da esquerda para direita, enquanto ele nos esmaga de cima para baixo. Um movimento ditatorial vindo de todos partidos, completamente coniventes com nosso sofrimento e indiferente por achar meios para conseguir mudar.


Professores, estudantes e a sociedade ao enfrentarem os capangas do Sindicato e os partidos que vivem dele enfrentam a correia de transmissão do Estado, esse eterno terrorista.  E nossos punhos contra eles pedagogicamente educam de forma revolucionária numa nova direção à Conquista do Pão.

Lutar e resistir é preciso! É nisso que iremos ensinar que não esquecemos e não perdoamos... Esperem por nós!

domingo, 3 de maio de 2015

Professores do PR planejavam ir a protesto com camisa da CBF para não apanhar mas salário não deu

Professores Anonymous e Black Blocs lutaram para vestir uma única camisa do Brasil que apareceu.

Segundo um dos professores que lideraram a manifestação no Paraná, antes do protesto, todos foram aconselhados a se vestirem com camisetas da CBF para evitar agressões por parte da PM. Em São Paulo, por exemplo, pessoas vestidas com o uniforme oficial criado pela Nike para a seleção brasileira, que custa em média R$ 300, eram abraçados pelos PMs e ganhavam fotos de brinde.

“Infelizmente, a última vez que comprei alguma coisa de mais de R$ 300 foi uma prótese de platina para colocar no braço que um aluno me quebrou”, conta a professora Gertrudes Maria, que dá aulas na rede pública em Curitiba há 27 anos.

Durante o evento muitos Anonymous e Black Blocs lutaram para vestir uma única camisa que apareceu com o objetivo de se disfarçar e evitar o confronto.